Logo
Plantio Direto

Agricultura
Tecnologia
Informação

Área do assinante

ASSINE LOGIN
ATENDIMENTO
VIA CHAT
(54) 3311-1235

RevistaNOTÍCIAS

Semeadura do milho de segunda safra avança no país
Data de publicação

08
Março
2019

Semeadura do milho de segunda safra avança no país

Até o dia 1 de março, a semeadura do milho de segunda safra (2018/19) atingira 95,8% da área prevista em Mato Grosso, segundo o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea).Os trabalhos estão adiantados frente ao mesmo período da safra passada, quando 84,5% da área havia sido semeada até então. 

Com a safra de verão ou primeira safra semeada mais dentro da janela de plantio neste ciclo, a segunda safra ou safra de inverno também está sendo plantada mais dentro do período (janela) ideal. A expectativa é de crescimento de 1,6% na área com cultura no estado este ano, frente ao ciclo passado. A produtividade deverá ser 2,7% maior. Com isso, a produção mato-grossense está estimada em 28,78 milhões de toneladas do cereal, um aumento de 4,3% em relação à temporada passada.

No Paraná, de acordo com o Departamento de Economia Rural (Deral), 73,0% da área esperada com milho na segunda safra foi semeada até o dia 25/2.

O ritmo dos trabalhos também está à frente do verificado na safra passada, quando 16,0% da área fora semeada até o final de fevereiro/18. Com relação à situação das lavouras no estado, 93,0% estão em boas condições e 7,0% em condições medianas. A expectativa é de que a área de milho cresça 4,5% na segunda safra no Paraná. Com um clima mais favorável este ano, a produtividade média deverá ser 33,0% maior que a média da segunda safra passada (2017/18). Dessa forma, a produção paranaense está estimada em 12,77 milhões de toneladas na segunda safra, 39,4% mais frente as 9,16 milhões de toneladas colhidas anteriormente.

A expectativa de aumento da produção no país na segunda safra 2018/19 é um fator de baixa para as cotações no mercado interno em médio e longo prazos.Entretanto, é importante seguirmos monitorando o clima, câmbio e demanda interna.

A expectativa de aumento da produção no país na segunda safra 2018/19 é um fator de baixa para as cotações no mercado interno em médio e longo prazos.

 

Fonte: Notícias Agrícolas

 

Enviando

Carregando...