Logo
Plantio Direto

Agricultura
Tecnologia
Informação

Área do assinante

ASSINE LOGIN
ATENDIMENTO
VIA CHAT
(54) 3311-1235

RevistaNOTÍCIAS

Data de publicação

26
Julho
2018

Aprosoja monitora soja guaxa em Mato Grosso

Por: Viviane Petroli, da Redação Mato Grosso Agro

 

O período de Vazio Sanitário da soja em Mato Grosso segue até o dia 15 de setembro, visando coibir a existência do fungo da ferrugem asiática, doença esta maior causadora de prejuízos nas lavouras. A Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) iniciou no estado uma rodada técnica de visitas em propriedades para verificar a presença de soja guaxa.

 

O consultor técnico da associação, Wanderlei Dias Guerra, pontua que "As guaxas mais velhas são as que têm mais ferrugem. Já nas mais novas, quando tem a doença, está apenas nas folhas de baixo. Apesar de a ferrugem não evoluir nesta época do ano, ainda assim estas plantas precisam ser eliminadas. Isto porque este inóculo permanece ativo na planta e até mesmo nas folhas secas caídas no solo. Com o início das chuvas, a ferrugem poderá reiniciar seu ciclo e, a partir das plantas guaxas, atingir as lavouras da região".

 

Na safra anterior, salienta o consultor técnico da Aprosoja Mato Grosso, também foi realizado um trabalho de coleta e o que se encontrou "nas guaxas foi exatamente o que aconteceu na safra".

 

Segundo a Aprosoja Mato Grosso, a cada município visitado está sendo realizado por Dias Guerra um georreferenciamento dos locais com soja guaxa. Além do mapeamento, também coletas de folhas com ferrugem para análise.

 

A entidade frisa que o intuito com a rodada técnica é determinar as regiões e as respectivas perdas de eficiência para carboxamida, através da análise de DNA. Nos casos em que há quantidade de esporos suficientes, está prevista a análise de sensibilidade ao protioconazol.

 

"Essas informações de ocorrência são repassadas para os Sindicatos Rurais sugerindo que, em parceria com as prefeituras, ampliem o levantamento e façam a erradicação das plantas. É no perímetro urbano que elas têm sido encontradas em maior quantidade. Solicitamos ainda que informem as ocorrências para a Aprosoja", diz o consultor técnico.

 

Disponível em: http://www.matogrossoagro.com.br/agricultura/aprosoja-monitora-soja-guaxa-em-mato-grosso/1994

Enviando

Carregando...